Um novo tempo para os gaúchos
 

*Carlos Pestana é Secretário Chefe da Casa Civil do Governo do Estado.

**Artigo publicado originalmente no jornal Zero Hora do dia 14 de outubro de 2011.

 

Outubro marca um ano da vitória eleitoral que consagrou Tarso Genro governador do Estado. Correspondente à façanha de se eleger no primeiro turno - fato inédito na história política gaúcha - é a responsabilidade de atender às expectativas de uma população que não quer mais ver o Rio Grande de costas para o Brasil.


Durante a campanha eleitoral, enfatizamos três prioridades que deveriam ser desenvolvidas durante o nosso governo: aprofundamento das relações do Estado com o governo federal, ampliação do diálogo participativo popular, promoção do desenvolvimento econômico e social.


De fato, nosso Estado retomou o diálogo produtivo com a União, tanto que já é a terceira vez neste ano que a presidenta Dilma Rousseff vem aqui anunciar importantes investimentos para os gaúchos. Graças ao aval do governo federal, já garantimos financiamentos junto ao Banco Mundial e ao BNDES de R$ 2,1 bilhões, e agora a presidenta anuncia a liberação de novos empréstimos internacionais para o Estado, além de recursos federais para a concretização da nossa tão esperada linha de metrô. E, não menos importante, a integração do Rio Grande do Sul ao Plano Brasil Sem Miséria, que no nosso Estado vai se chamar RS Mais Igual e deverá tirar da pobreza extrema mais de 300 mil pessoas em quatro anos.


O eixo da democracia participativa, ponto fundamental do nosso plano de governo, avança a passos largos. Prova disso foi a significativa participação popular nas reuniões de discussão do Plano Plurianual realizadas no interior do Estado.


Por fim, no que diz respeito à promoção do desenvolvimento, conquistamos importantes avanços. Vejamos: a confirmação, pela coreana Hyundai, de instalação de uma fábrica de elevadores em nosso território; o início das obras na Área Industrial de Guaíba, o que possibilitará a instalação de sete empresas, a geração de mais de 1,5 mil empregos e investimentos privados de R$ 500 milhões; retomada do Simples Gaúcho, com a redução de ICMS para mais de 44 mil pequenas empresas; ampliação do Fundopem para os que investem em pesquisa e tecnologia; além de medidas garantidoras de uma melhor distribuição de renda, como o reajuste de 11% no valor do Piso Regional e o início do processo de valorização do funcionalismo público, com a concessão de reajustes salariais emblemáticos para servidores da segurança e do magistério.

 

Como se vê, um novo horizonte se abre para o Rio Grande com a promoção do crescimento e da distribuição de renda, a exemplo do que aconteceu no Brasil nos últimos anos.

Carlos Pestana
Data da Publicação: 17/10/2011


 Comente
 
COMENTÁRIOS:

 
Voltar


18.03.2017
 Michel Temer, Gilmar, Rodrigo Maia e Eunício tramam contra a Lava Jato.
18.01.2017
 Para Ciro, conchavo PT-Temer na Câmara é uma traição imoral.
18.01.2017
 Fernando Siqueira: “o acordo com Total é um ato criminoso”.
13.12.2016
 Wagner e assessor especial de Dilma receberam suborno.
13.12.2016
 Geddel se sentia passado para trás.
13.12.2016
 Renan recebia pixuleco através de Jucá.
13.12.2016
 Padilha e Moreira Franco eram os prepostos de Temer que abasteciam PMDB da Câmara.
13.12.2016
 “PEC 55 só favorece especulador”, afirma o economista Nilson Araújo.
13.12.2016
 PEC do roubo à Previdência barra aposentadoria plena antes dos 70 .
13.12.2016
 Juros altos e sem investimentos, PIB recua 0,8% no 3º trimestre.
13.12.2016
 Governo, Congresso e STF estão podres. Eleições Gerais Já!.
23.11.2016
 Governo apresenta novo pacote de arrocho contra servidores gaúchos.
23.11.2016
 Contra a PEC 241/55 e o Pacote do Sartori.
21.10.2016
 Ipea diz que PEC 241 vai tirar 868 bilhões da assistência Social.
[+ Notícias]

Correio Eletrônico: pplrs@pplrs.com.br