Você está em: Home >> Notícias >> CMS quer o Brasil nas ruas contra juros altos e parasitismo do sistema financeiro
 
- Procurar Notícias  
 
 
18/04/2012 | CMS quer o Brasil nas ruas contra juros altos e parasitismo do sistema financeiro

A 10ª Plenária Nacional da Coordenação dos Movimentos Sociais aprovou a realização de mobilizações em todo Brasil contra os juros altos e pelo estancamento da sangria de recursos do Orçamento para favorecer banqueiros e especuladores. A plenária definiu ainda 5 de junho como data para a realização de um Dia Nacional de Luta contra o parasitismo do sistema financeiro sobre a sociedade.

"Sem colocarmos o bloco na rua, continuarão as tragédias do superávit primário e do fator previdenciário, enquanto a saúde e a educação públicas continuarão à míngua, a reforma agrária não se efetivará, a jornada de trabalho não será reduzida, e tudo ficará mais difícil", afirmou a secretária nacional de Comunicação da CUT e da direção operativa da CMS, Rosane Bertotti.

Segundo Rosane, "os juros altos e o câmbio sobrevalorizado têm sido o foco dos recentes protestos que tomam as ruas das principais cidades do país, ecoando um sentimento cada vez mais generalizado contra a sangria de recursos ao exterior". A sobrevalorização artificial do real, destacou a sindicalista, "vêm encarecendo a produção nacional e barateando as importações, que acabam desindustrializando e tirando os nossos empregos".

Para a diretora da União Nacional dos Estudantes (UNE) Luiza Lafetá, o Brasil precisa romper com o parasitismo da especulação financeira, "que consome 49% do Orçamento da União, deixando setores estratégicos para o nosso desenvolvimento, como são a educação, a saúde, a ciência e a tecnologia nacional em situação muito difícil".

O diretor da CTB Carlos Rogério destacou que a política de juros altos do BC levou à desaceleração econômica, com o PIB tendo um crescimento de apenas 2,7%, após uma expansão de 7,5% no ano anterior. Para o sindicalista, a principal causa do processo de desindustrialização que vive o país é o câmbio sobrevalorizado, que atrai capital especulativo. "É preciso dar um basta nesta situação para que o país volte a caminhar para frente", frisou.

Publicado no Jornal Hora do Povo edição 3.048

 
Últimas Notícias
 
06/10/2017   -- PPL-RS: NÃO à adesão do RS ao plano do governo federal de arrocho dos estados
06/10/2017   -- RS: Sartori anuncia venda de 49% do estatal Banrisul
06/10/2017   -- Presidente ladrão diz que imoral é o procurador que o pegou pelo pé
03/07/2017   -- Trabalhistas históricos fortalecem o PPL
29/06/2017   -- João Vicente Goulart se filiará ao PPL
 

 
Voltar


 Comente
 
COMENTÁRIOS:
03.07.2017
 Trabalhistas históricos fortalecem o PPL.
29.06.2017
 João Vicente Goulart se filiará ao PPL.
14.06.2017
 O manual da canalhice - ou como Temer escapou no TSE.
14.06.2017
 Trabalhadores nas ruas dizem “Não” às ‘reformas’ de Temer .
14.06.2017
 Boletim do BC reduz a 0,41% previsão para o PIB este ano.
14.06.2017
 Lucro das operadoras de saúde aumentou 70% em 2016, diz ANS.
14.06.2017
 Fux: os fatos são gravíssimos .
14.06.2017
 Gilmar defende impunidade para PMDB, PT e PSDB.
14.06.2017
 TSE livra chapa Dilma-Temer e vota pela ditadura da propina.
14.06.2017
 A luta pelo Brasil em um novo partido.
22.05.2017
 Resolução Diretório Estadual Partido Pátria Livre RS.
18.05.2017
 Parente corta investimentos e privatiza Campo do Azulão.
19.05.2017
 Com manifestações e panelaço, povo vai às ruas após divulgação de gravações de Temer .
19.05.2017
 Molon protocola pedido de impeachment.
[+ Notícias]

Correio Eletrônico: pplrs@pplrs.org.br