Você está em: Home >> Notícias >> Estado cria Comissão de Erradicação do Trabalho Escravo
 
- Procurar Notácias  
 
 
21/05/2012 | Estado cria Comissão de Erradicação do Trabalho Escravo

O Rio Grande do Sul passa a contar com a Comissão Estadual de Erradicação do Trabalho Escravo (Coetrae-RS). Por iniciativa da Procuradoria Geral do Estado (PGE), em parceria com a Secretaria da Justiça e dos Direitos Humanos, demais entidades, órgãos públicos e Sociedade Civil, o ato de criação ocorrerá na próxima segunda-feira (21), a partir das 16h. Após a instalação da Coetrae-RS, ocorrerá o Ciclo de Debates Direito e Política da PGE.

A Coetrae-RS tem por finalidade propor mecanismos para a prevenção e a erradicação do trabalho escravo no Rio Grande do Sul. Entre os órgãos convidados a constituírem a Comissão estão o Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, o Ministério Público do Trabalho, o Ministério Público Federal, a Superintendência Regional do Trabalho, a Polícia Federal, o Ministério Público Estadual, a Defensoria Pública Estadual, as Polícias Rodoviárias Federal e Estadual, além de integrantes da sociedade civil.

Após o ato de criação da Coetrae-RS, terá o início a 5ª edição do Ciclo de Debates Direito e Política, que vai discutir o Trabalho Escravo Contemporâneo. Os eventos acontecem no auditório do Centro Administrativo Fernando Ferrari. A mesa de debates será composta por Luis Antônio Machado, do Projeto Nacional de Combate ao Trabalho Escravo da Organização Internacional do Trabalho (OIT), pela Procuradora do Trabalho Dra. Sheila Ferreira Delpino, da Procuradora Regional do Trabalho da 4ª Região e pelo jornalista Leonardo Sakamoto, da ONG Repórter Brasil.

O trabalho escravo tem sido assunto de destaque nos últimos dias. A Câmara Federal irá votar no próximo dia 22 a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 438/01, que determina a expropriação de terras onde for constatada exploração de trabalhadores em condições análogas à de escravidão. A PEC foi aprovada na Câmara, em primeiro turno, em agosto de 2004 por 326 votos a 10, e 8 abstenções.

De acordo com a Lista Suja do Ministério do Trabalho e Emprego, divulgada pelo Governo Federal, no Rio Grande do Sul existem cinco fazendas que utilizam o trabalho escravo como mão de obra. As fazendas estão localizadas nos municípios de Mostardas, São José do Norte, Bom Jesus e Cacequi, e realizam corte de pinus, colheita de batata e extração de madeira como atividades.

Publicado no Portal do Estado do Rio Grande do Sul

 
Últimas Notícias
 
17/04/2018   -- Cientistas Engajados disputarão as eleições em 2018
13/03/2018   -- PPL apresenta candidatura de João Goulart Filho a presidente da República
12/03/2018   -- PPL decide: João Goulart e Léo Alves para Presidência e Vice-Presidência do Brasil
08/02/2018   -- NOTA AO POVO GAÚCHO
02/02/2018   -- Governo do RS deixa metade dos servidores sem salário
 

 
Voltar


 Comente
 
COMENTÁRIOS:
12.03.2018
 PPL decide: João Goulart e Léo Alves para Presidência e Vice-Presidência do Brasil.
02.02.2018
 Aposentados fazem desfile-protesto contra assalto à Previdência.
02.02.2018
 Gasto com juros foi de R$ 400 bilhões em 2017.
02.02.2018
 Servidores Públicos reforçam convocação de greve geral dia 19.
02.02.2018
 ALERGS não vota o pacote de Sartori.
02.02.2018
 Governo do RS deixa metade dos servidores sem salário.
02.02.2018
 Filho de Jango é lançado presidente em São Borja.
22.01.2018
 Resolução da Executiva Estadual do Partido Pátria Livre – RS.
15.01.2018
 João Vicente Goulart condena “desmoralização” do Ministério do Trabalho.
15.01.2018
 Eleição com Lula é fraude!.
15.01.2018
 Ha-Joon Chang: “O Brasil está experimentando uma das maiores desindustrializações da história da economia”.
27.11.2017
 A vice-presidente do PPL/RS recebe homenagem da ALRS alusiva à Semana da Consciência Negra.
22.11.2017
 PPL inicia campanha à presidência: “Chega de roubalheira e recessão!”.
06.10.2017
 Presidente ladrão diz que imoral é o procurador que o pegou pelo pé.
[+ Notícias]

Correio Eletrônico: pplrs@pplrs.org.br