Você está em: Home >> Notícias >> Estado cria Comissão de Erradicação do Trabalho Escravo
 
- Procurar Notícias  
 
 
21/05/2012 | Estado cria Comissão de Erradicação do Trabalho Escravo

O Rio Grande do Sul passa a contar com a Comissão Estadual de Erradicação do Trabalho Escravo (Coetrae-RS). Por iniciativa da Procuradoria Geral do Estado (PGE), em parceria com a Secretaria da Justiça e dos Direitos Humanos, demais entidades, órgãos públicos e Sociedade Civil, o ato de criação ocorrerá na próxima segunda-feira (21), a partir das 16h. Após a instalação da Coetrae-RS, ocorrerá o Ciclo de Debates Direito e Política da PGE.

A Coetrae-RS tem por finalidade propor mecanismos para a prevenção e a erradicação do trabalho escravo no Rio Grande do Sul. Entre os órgãos convidados a constituírem a Comissão estão o Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, o Ministério Público do Trabalho, o Ministério Público Federal, a Superintendência Regional do Trabalho, a Polícia Federal, o Ministério Público Estadual, a Defensoria Pública Estadual, as Polícias Rodoviárias Federal e Estadual, além de integrantes da sociedade civil.

Após o ato de criação da Coetrae-RS, terá o início a 5ª edição do Ciclo de Debates Direito e Política, que vai discutir o Trabalho Escravo Contemporâneo. Os eventos acontecem no auditório do Centro Administrativo Fernando Ferrari. A mesa de debates será composta por Luis Antônio Machado, do Projeto Nacional de Combate ao Trabalho Escravo da Organização Internacional do Trabalho (OIT), pela Procuradora do Trabalho Dra. Sheila Ferreira Delpino, da Procuradora Regional do Trabalho da 4ª Região e pelo jornalista Leonardo Sakamoto, da ONG Repórter Brasil.

O trabalho escravo tem sido assunto de destaque nos últimos dias. A Câmara Federal irá votar no próximo dia 22 a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 438/01, que determina a expropriação de terras onde for constatada exploração de trabalhadores em condições análogas à de escravidão. A PEC foi aprovada na Câmara, em primeiro turno, em agosto de 2004 por 326 votos a 10, e 8 abstenções.

De acordo com a Lista Suja do Ministério do Trabalho e Emprego, divulgada pelo Governo Federal, no Rio Grande do Sul existem cinco fazendas que utilizam o trabalho escravo como mão de obra. As fazendas estão localizadas nos municípios de Mostardas, São José do Norte, Bom Jesus e Cacequi, e realizam corte de pinus, colheita de batata e extração de madeira como atividades.

Publicado no Portal do Estado do Rio Grande do Sul

 
Últimas Notícias
 
06/10/2017   -- PPL-RS: NÃO à adesão do RS ao plano do governo federal de arrocho dos estados
06/10/2017   -- RS: Sartori anuncia venda de 49% do estatal Banrisul
06/10/2017   -- Presidente ladrão diz que imoral é o procurador que o pegou pelo pé
03/07/2017   -- Trabalhistas históricos fortalecem o PPL
29/06/2017   -- João Vicente Goulart se filiará ao PPL
 

 
Voltar


 Comente
 
COMENTÁRIOS:
03.07.2017
 Trabalhistas históricos fortalecem o PPL.
29.06.2017
 João Vicente Goulart se filiará ao PPL.
14.06.2017
 O manual da canalhice - ou como Temer escapou no TSE.
14.06.2017
 Trabalhadores nas ruas dizem “Não” às ‘reformas’ de Temer .
14.06.2017
 Boletim do BC reduz a 0,41% previsão para o PIB este ano.
14.06.2017
 Lucro das operadoras de saúde aumentou 70% em 2016, diz ANS.
14.06.2017
 Fux: os fatos são gravíssimos .
14.06.2017
 Gilmar defende impunidade para PMDB, PT e PSDB.
14.06.2017
 TSE livra chapa Dilma-Temer e vota pela ditadura da propina.
14.06.2017
 A luta pelo Brasil em um novo partido.
22.05.2017
 Resolução Diretório Estadual Partido Pátria Livre RS.
18.05.2017
 Parente corta investimentos e privatiza Campo do Azulão.
19.05.2017
 Com manifestações e panelaço, povo vai às ruas após divulgação de gravações de Temer .
19.05.2017
 Molon protocola pedido de impeachment.
[+ Notícias]

Correio Eletrônico: pplrs@pplrs.org.br