Você está em: Home >> Notícias >> PPL: Os seis pontos para o Brasil avançar e se desenvolver
 
- Procurar Notícias  
 
 
 
Créditos:PPL Nacional
30/05/2012 | PPL: Os seis pontos para o Brasil avançar e se desenvolver

Na quinta-feira, 24 de maio, o Partido Pátria Livre (PPL) exibiu pela primeira vez o seu programa nacional em cadeia de rádio e TV. Registrado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em outubro de 2011 depois de obter 1,3 milhão de assinaturas de apoio, o PPL iniciou o programa resgatando a herança de Tiradentes e conclamando os brasileiros a libertarem o Brasil.

Miguel Manso, secretário nacional de Organização, e presidente do partido em São Paulo, informou que o PPL já conta com mais de 30 mil filiados organizados nos 27 estados do país, 400 vereadores, dezenas de prefeitos e subprefeitos, três deputados estaduais e que vai disputar as eleições em mais de mil municípios brasileiros. Presidentes estaduais, lideranças e personalidades também falaram no programa.

A seguir publicamos o pronunciamento do presidente nacional da legenda, Sérgio Rubens.

"Desde o início de março, a presidente Dilma tem afirmado que as taxas de juros no Brasil têm que cair a níveis internacionais.

Nós estamos de acordo. E inclusive alertamos que as cinco altas sucessivas da taxa básica de juros, realizadas no ano passado, iriam prejudicar fortemente a nossa economia.

O resultado todos conhecem. Nosso crescimento caiu dos 7,5% do último ano do governo Lula para menos de 3%. O câmbio se desequilibrou. A indústria estagnou. E o setor público pagou só de juros ao sistema financeiro 236 bilhões de reais - uma alta de 23% em relação a 2010.

Portanto, para o Brasil voltar a crescer é mesmo indispensável reduzir as taxas de juros – especialmente a taxa básica.

Mas isso não é tudo. Já é hora do governo concentrar a atenção numa questão estratégica.

Desde 1995, o estoque de capital estrangeiro no Brasil tem crescido mais rápido que o estoque de capital nacional, via de regra através da compra de nossas empresas pelas multinacionais americanas e europeias.

Embratel, Eletropaulo, Petroflex, Acesita, Banespa, Banco Real, Arisco, Lacta, Metal Leve, Cofap, Arno, Cosan... é extensa a lista das mais de 2.500 empresas desnacionalizadas nesse período.

No ano passado, essa desnacionalização selvagem atingiu um recorde de 208 empresas. Ora, as multinacionais importam, em média, 290% a mais que as empresas nacionais. Assim, o estoque de capital externo, que já é mais que excessivo nos setores chave da economia, vai tornando as importações e as remessas de lucros insustentáveis para o país.

Para vencer esse gargalo e tirar nossa indústria do estado de penúria é preciso mais do que reduzir os juros e equilibrar o câmbio.

A proposta do PPL é priorizar as empresas genuinamente nacionais nos financiamentos e nas encomendas do Estado, tal como recomendava a Constituição de 88, antes de ser mutilada por FHC. Sem isso não haverá um verdadeiro crescimento sustentado. E aqui não se trata de ser contra o capital externo, mas de dar à empresa nacional a prioridade que ela merece.

O programa que o Partido Pátria Livre tem a honra de apresentar à Nação nesta primeira aparição na tevê pode ser resumido em seis pontos:

1. Ampliar o mercado interno, com mais empregos e mais salários

2. Reduzir os juros.

3. Concentrar os recursos do BNDES para financiar as empresas nacionais e dar prioridade a elas nas encomendas do Estado.

4. Desenvolver a ciência e os setores de tecnologia de ponta vitais para a nossa independência - especialmente a microeletrônica, informática, engenharia genética, engenharia nuclear, materiais estratégicos e a indústria da defesa.

5. Apoio do Estado às realizações dotadas de excelência e relevância para o desenvolvimento da cultura nacional.

6. Educação e Saúde gratuita e de qualidade para todos.

Se você concorda com esse programa, filie-se ao PPL e venha lutar junto conosco."

Para ver o vídeo clique aqui

Publicado na página eletrônica do PPL Nacional

 
Últimas Notícias
 
18/03/2017   -- Atos dizem NÃO a Temer & súcia em defesa da Previdência e CLT
18/03/2017   -- Michel Temer, Gilmar, Rodrigo Maia e Eunício tramam contra a Lava Jato
16/03/2017   -- Não tem déficit na Previdência, o que tem é muito roubo
18/01/2017   -- Fernando Siqueira: “o acordo com Total é um ato criminoso”
18/01/2017   -- Para Ciro, conchavo PT-Temer na Câmara é uma traição imoral
 

 
Voltar


 Comente
 
COMENTÁRIOS:
18.03.2017
 Michel Temer, Gilmar, Rodrigo Maia e Eunício tramam contra a Lava Jato.
18.01.2017
 Para Ciro, conchavo PT-Temer na Câmara é uma traição imoral.
18.01.2017
 Fernando Siqueira: “o acordo com Total é um ato criminoso”.
13.12.2016
 Wagner e assessor especial de Dilma receberam suborno.
13.12.2016
 Geddel se sentia passado para trás.
13.12.2016
 Renan recebia pixuleco através de Jucá.
13.12.2016
 Padilha e Moreira Franco eram os prepostos de Temer que abasteciam PMDB da Câmara.
13.12.2016
 “PEC 55 só favorece especulador”, afirma o economista Nilson Araújo.
13.12.2016
 PEC do roubo à Previdência barra aposentadoria plena antes dos 70 .
13.12.2016
 Juros altos e sem investimentos, PIB recua 0,8% no 3º trimestre.
13.12.2016
 Governo, Congresso e STF estão podres. Eleições Gerais Já!.
23.11.2016
 Governo apresenta novo pacote de arrocho contra servidores gaúchos.
23.11.2016
 Contra a PEC 241/55 e o Pacote do Sartori.
21.10.2016
 Ipea diz que PEC 241 vai tirar 868 bilhões da assistência Social.
[+ Notícias]

Correio Eletrônico: pplrs@pplrs.com.br