Você está em: Home >> Notícias >> Empresários e centrais defendem a continuidade da queda dos juros
 
- Procurar Notácias  
 
 
01/06/2012 | Empresários e centrais defendem a continuidade da queda dos juros

As entidades empresariais e as centrais sindicais saudaram o corte de mais meio ponto percentual na taxa Selic e ressaltaram a necessidade da continuidade da redução de juros, além de outras medidas para impulsionar o setor produtivo. “A decisão do Copom de continuar a política de redução da taxa básica de juros é acertada”, avaliou a Confederação Nacional da Indústria (CNI). “O cenário externo adverso exige ações rápidas e estruturantes, e a redução dos juros é componente essencial nessas medidas. No campo interno, a inflação está em desaceleração, proporcionando ambiente positivo para uma política monetária mais ativa”, disse a entidade.

Para a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), “o Brasil precisa recuperar a sua competitividade por meio de medidas adicionais, que ajudem a reduzir os custos de produção no país”. A Fecomercio-SP mantém a sua posição na defesa de novas reduções na taxa de juros. “A entidade reforça que novos cortes na Selic são fundamentais para reduzir os gastos com a dívida pública e liberar recursos para investimento em áreas fundamentais para o contínuo desenvolvimento do país, como infraestrutura, segurança e educação”.

O presidente em exercício da Força Sindical, Miguel Torres, ressaltou que “o governo deve continuar reduzindo a taxa Selic, combatendo, desta forma a especulação, que é um mecanismo perverso que inibe a produção, o consumo e a geração de novos postos de trabalho”.

“É necessária a continuidade da redução dos juros para equilibrar o câmbio, mas também ações que recomponham as cadeias produtivas e impeçam a entrada de investimentos diretos estrangeiros, que entram em nosso país para comprar nossas empresas, aumentando com isso as importações de insumos e componentes e, inclusive, de produtos finais. O BNDES deve direcionar seus financiamentos às empresas genuinamente nacionais, privadas e estatais, e o governo deve priorizar essas empresas em suas compras”, destacou o presidente da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), Ubiraci Dantas de Oliveira (Bira).

Com a Selic a 8,5% ao ano, muda o rendimento da poupança aberta a partir de 4 de maio, segundo a regra anunciada pelo governo no começo de maio. Pela nova norma, quando a Selic estiver em 8,5% ou abaixo, a nova poupança será corrigida mensalmente por 70% da Selic, mais a TR (Taxa Referencial). Para os depósitos antes do dia 3 de maio continua a valer o modelo antigo de correção, de 0,5% mensal (ou 6,17% ao ano), mais a TR.

Publicado no Jornal Hora do Povo, edição 3.061

 
Últimas Notícias
 
17/04/2018   -- Cientistas Engajados disputarão as eleições em 2018
13/03/2018   -- PPL apresenta candidatura de João Goulart Filho a presidente da República
12/03/2018   -- PPL decide: João Goulart e Léo Alves para Presidência e Vice-Presidência do Brasil
08/02/2018   -- NOTA AO POVO GAÚCHO
02/02/2018   -- Governo do RS deixa metade dos servidores sem salário
 

 
Voltar


 Comente
 
COMENTÁRIOS:
12.03.2018
 PPL decide: João Goulart e Léo Alves para Presidência e Vice-Presidência do Brasil.
02.02.2018
 Aposentados fazem desfile-protesto contra assalto à Previdência.
02.02.2018
 Gasto com juros foi de R$ 400 bilhões em 2017.
02.02.2018
 Servidores Públicos reforçam convocação de greve geral dia 19.
02.02.2018
 ALERGS não vota o pacote de Sartori.
02.02.2018
 Governo do RS deixa metade dos servidores sem salário.
02.02.2018
 Filho de Jango é lançado presidente em São Borja.
22.01.2018
 Resolução da Executiva Estadual do Partido Pátria Livre – RS.
15.01.2018
 João Vicente Goulart condena “desmoralização” do Ministério do Trabalho.
15.01.2018
 Eleição com Lula é fraude!.
15.01.2018
 Ha-Joon Chang: “O Brasil está experimentando uma das maiores desindustrializações da história da economia”.
27.11.2017
 A vice-presidente do PPL/RS recebe homenagem da ALRS alusiva à Semana da Consciência Negra.
22.11.2017
 PPL inicia campanha à presidência: “Chega de roubalheira e recessão!”.
06.10.2017
 Presidente ladrão diz que imoral é o procurador que o pegou pelo pé.
[+ Notícias]

Correio Eletrônico: pplrs@pplrs.org.br