Você está em: Home >> Notícias >> Veja arma fraude para acusar PT de instrumentalizar CPMI
 
- Procurar Notícias  
 
 
06/06/2012 | Veja arma fraude para acusar PT de instrumentalizar CPMI

A revista Veja tentou armar mais uma das suas, mas o resultado foi desastroso. A publicação ficou exposta ao ridículo depois de alardear em matéria de capa ter obtido um “documento” que teria sido produzido pelo PT como estratégia para a CPI do Cachoeira e foi desmascarada em uma falsificação grosseira.

O suposto “documento”, que a revista apresentou com pompa de “exclusividade”, não passa de um amontoado de recortes e reportagens de outras publicações impressas e blogs, como revelou a revista CartaCapital, comparando os fac-símiles mostrados por “Veja” com os textos originais – em matéria com o sugestivo título “Control C + Control Veja”, assinada por Cynara Menezes.

CartaCapital revelou, por exemplo, que o trecho “Uma ala poderosa da Polícia Federal, com diversos simpatizantes nos meios de comunicação, não engole há muito tempo o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal” saiu de uma reportagem de 6 de abril do site Brasil 247, reproduzido como está no original.

Cynara Menezes mostra que outro trecho do “documento” de “Veja” é reprodução do painel da “Folha de S. Paulo” de 14 de abril: “Gurgel optou por engavetar temporariamente o caso. Membros do próprio Ministério Público contestam essa decisão em privado. Acham que, com as informações em mãos, o procurador-geral tinha de arquivar, denunciar citados sem foro privilegiado ou pedir abertura de inquérito no STF”.

O “copiar colar” que a revista apresentou como “manual do PT para instrumentalizar a CPI” reproduz adiante o lead (abertura do texto com o fato essencial da matéria) de uma reportagem do jornal “O Estado de S. Paulo” de 28 de abril: “Em uma conversa entre o senador Demóstenes Torres e o contraventor Carlinhos Cachoeira, gravada pela Polícia Federal (…)”.

O líder do PT na Câmara dos Deputados, Jilmar Tatto (SP), negou a existência de um documento de orientação dos parlamentares do partido na CPI, assinalando que os documentos da liderança petista são assinados por ele. “A ‘Veja’ fala de um documento do PT, mas não tá assinado, é apócrifo”, disse. “Não existe. Ao contrário, a orientação dos deputados é apurar o crime organizado do Carlinhos Cachoeira”, reiterou.

Publicado no Jornal Hora do Povo, edição 3.062

 
Últimas Notícias
 
27/11/2017   -- A vice-presidente do PPL/RS recebe homenagem da ALRS alusiva à Semana da Consciência Negra
22/11/2017   -- PPL inicia campanha à presidência: “Chega de roubalheira e recessão!”
06/10/2017   -- PPL-RS: NÃO à adesão do RS ao plano do governo federal de arrocho dos estados
06/10/2017   -- RS: Sartori anuncia venda de 49% do estatal Banrisul
06/10/2017   -- Presidente ladrão diz que imoral é o procurador que o pegou pelo pé
 

 
Voltar


 Comente
 
COMENTÁRIOS:
06.10.2017
 Presidente ladrão diz que imoral é o procurador que o pegou pelo pé.
06.10.2017
 RS: Sartori anuncia venda de 49% do estatal Banrisul.
03.07.2017
 Trabalhistas históricos fortalecem o PPL.
29.06.2017
 João Vicente Goulart se filiará ao PPL.
14.06.2017
 O manual da canalhice - ou como Temer escapou no TSE.
14.06.2017
 Trabalhadores nas ruas dizem “Não” às ‘reformas’ de Temer .
14.06.2017
 Boletim do BC reduz a 0,41% previsão para o PIB este ano.
14.06.2017
 Lucro das operadoras de saúde aumentou 70% em 2016, diz ANS.
14.06.2017
 Fux: os fatos são gravíssimos .
14.06.2017
 Gilmar defende impunidade para PMDB, PT e PSDB.
14.06.2017
 TSE livra chapa Dilma-Temer e vota pela ditadura da propina.
14.06.2017
 A luta pelo Brasil em um novo partido.
22.05.2017
 Resolução Diretório Estadual Partido Pátria Livre RS.
18.05.2017
 Parente corta investimentos e privatiza Campo do Azulão.
[+ Notícias]

Correio Eletrônico: pplrs@pplrs.org.br