Você está em: Home >> Notícias >> Presidente da Fenaj defende que Policarpo Jr vá à CPMI: “não vamos proteger jornalistas criminosos”
 
- Procurar Notícias  
 
 
14/06/2012 | Presidente da Fenaj defende que Policarpo Jr vá à CPMI: “não vamos proteger jornalistas criminosos”

O presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Celso Schröder, afirmou que a revista Veja precisa explicar o que guiou sua vergonhosa prática jornalística depois que a Polícia Federal flagrou o envolvimento da publicação no esquema do bicheiro Carlinhos Cachoeira. “A Fenaj não vai proteger jornalistas criminosos”, disse Schröder, referindo-se às cerca de 200 conversas telefônicas entre o diretor da sucursal da revista Veja em Brasília, Policarpo Júnior, e o esquema do contraventor.

“A Veja tem que dar explicações ao Brasil. É preciso explicar como ela exerce a atividade jornalística com essas veleidades, com descompromisso e irresponsabilidade em relação a princípios éticos e técnicos”, acrescentou, em entrevista ao portal Sul21.

Celso Schröder disse que Veja extrapolou os limites da atividade jornalística, ressaltando que a publicação não tratou Cachoeira como fonte. “O problema é um jornalista ou uma empresa jornalística atribuir a alguém uma dimensão de fonte única, negociando com ela o conteúdo e a dimensão da matéria e, principalmente, conduzindo a Veja para uma atuação de partido político”, observou.

Ele avaliou que, do ponto de vista jornalístico, Veja cometeu um pecado inaceitável: “estabelecer uma relação promíscua entre o jornalista e a fonte”. “Não é só um repórter, mas é a organização, a chefia da empresa, que conduz e encaminha uma atividade tecnicamente reprovável e eticamente inaceitável”, frisou.

Segundo o presidente da Fenaj, o comprometimento e o “alinhamento inescrupuloso” da revista a uma determinada visão de mundo, de forma que se deixava levar pelos interesses políticos de um empresário envolvido em atividades ilegais “conduz à ideia de que a Veja possa ter aberto mão de ser um veículo de comunicação para ser um instrumento político com financiamento deste campo”.

Schröder ressaltou que não há dúvida de que a Veja “praticou um mau jornalismo” e deve prestar contas, defendendo que pessoas ligadas à publicação envolvidas no esquema sejam convocados a depor na CPI do Cachoeira. “A CPI tem gravações de integrantes da revista com o bicheiro. Que eles sejam convocados, então”.

Publicado no Jornal Hora do Povo, edição 3.064

 
Últimas Notícias
 
14/06/2017   -- A luta pelo Brasil em um novo partido
14/06/2017   -- TSE livra chapa Dilma-Temer e vota pela ditadura da propina
14/06/2017   -- Gilmar defende impunidade para PMDB, PT e PSDB
14/06/2017   -- Fux: os fatos são gravíssimos
14/06/2017   -- Lucro das operadoras de saúde aumentou 70% em 2016, diz ANS
 

 
Voltar


 Comente
 
COMENTÁRIOS:
14.06.2017
 O manual da canalhice - ou como Temer escapou no TSE.
14.06.2017
 Trabalhadores nas ruas dizem “Não” às ‘reformas’ de Temer .
14.06.2017
 Boletim do BC reduz a 0,41% previsão para o PIB este ano.
14.06.2017
 Lucro das operadoras de saúde aumentou 70% em 2016, diz ANS.
14.06.2017
 Fux: os fatos são gravíssimos .
14.06.2017
 Gilmar defende impunidade para PMDB, PT e PSDB.
18.05.2017
 Parente corta investimentos e privatiza Campo do Azulão.
19.05.2017
 Com manifestações e panelaço, povo vai às ruas após divulgação de gravações de Temer .
19.05.2017
 Molon protocola pedido de impeachment.
19.05.2017
 JBS: Mantega recebia a propina e distribuía.
19.05.2017
 Agendas e foto desmentem Lula.
19.05.2017
 Okamoto e Vaccari na agenda de Léo Pinheiro.
19.05.2017
  Paim: ‘Quem votar pela PEC da Previdência não volta em 2018’ .
19.05.2017
 Aécio pediu R$ 2 milhões e pegou. Dinheiro foi rastreado até parar em Perrella, o do helicóptero de cocaína.
[+ Notícias]

Correio Eletrônico: pplrs@pplrs.com.br