Você está em: Home >> Notícias >> Amorim quer prevenir os países do Atlântico Sul contra intervenções externas na região
 
- Procurar Notícias  
 
 
23/01/2013 | Amorim quer prevenir os países do Atlântico Sul contra intervenções externas na região

O ministro da Defesa, Celso Amorim, propôs aos países integrantes da Zona de Paz e Cooperação do Atlântico Sul (Zopacas) uma série de iniciativas, para tornar mais concreta a parceria em matéria de defesa e segurança entre as nações que compõem o foro multilateral. "Se nós não nos ocuparmos da paz e segurança no Atlântico Sul, outros vão se ocupar. E não da maneira que nós desejamos: com a visão de países em desenvolvimento que repudiam qualquer atitude colonial e neocolonial", afirmou Amorim, durante a VII Reunião Ministerial do grupo, realizada dias 15 e 16 de janeiro em Montevidéu, capital do Uruguai.

A Zopacas é um foro de diálogo e cooperação entre nações sul-americanas e africanas banhadas pela parte sul do Oceano Atlântico.

O ministro advertiu que a região pode atrair, "de maneira negativa para nossa área, a presença de intervenções externas", a pretexto de combater "atividades ilícitas", como a pirataria, tráfico de drogas e de pessoas, além do terrorismo internacional. Alguns países africanos do Atlântico Sul citaram esses problemas na reunião, embora pirataria, terrorismo e outros sejam casos que atingem o nordeste e leste da África (Somália principalmente) e não o lado ocidental. Apesar disto, EUA e governos da Europa alardeiam estranhamente que o Atlântico Sul é vítima de pirataria, sem haver casos concretos.

Tem razão o ministro Celso Amorim em se preocupar com a defesa e a paz da região, que assiste a ocupação colonial das Ilhas Malvinas, roubadas pela Inglaterra da Argentina. E recentemente os Estados Unidos reativaram a IV Frota, em que navios de guerra norte-americanos navegarão ostensivamente pelas águas da América Latina e Caribe, uma afronta à soberania da região. O Brasil descobriu o pré-sal, uma riquíssima e incalculável (até agora) nova fronteira de petróleo, que já é alvo da cobiça estrangeira. Países africanos do Atlântico, como Angola, também têm petróleo e outras riquezas cobiçadas.

Celso Amorim reforçou a importância de se ampliar a cooperação em defesa entre os países do foro. "Hoje vivemos uma realidade em que é muito difícil dizer exatamente onde, como e quais serão as intervenções externas, dos conflitos que poderão surgir", disse. "Esses fatos tornam ainda mais importante e vital a manutenção da nossa zona de paz e cooperação", completou.

Fonte: Hora do Povo

 
Últimas Notícias
 
14/06/2017   -- A luta pelo Brasil em um novo partido
14/06/2017   -- TSE livra chapa Dilma-Temer e vota pela ditadura da propina
14/06/2017   -- Gilmar defende impunidade para PMDB, PT e PSDB
14/06/2017   -- Fux: os fatos são gravíssimos
14/06/2017   -- Lucro das operadoras de saúde aumentou 70% em 2016, diz ANS
 

 
Voltar


 Comente
 
COMENTÁRIOS:
14.06.2017
 O manual da canalhice - ou como Temer escapou no TSE.
14.06.2017
 Trabalhadores nas ruas dizem “Não” às ‘reformas’ de Temer .
14.06.2017
 Boletim do BC reduz a 0,41% previsão para o PIB este ano.
14.06.2017
 Lucro das operadoras de saúde aumentou 70% em 2016, diz ANS.
14.06.2017
 Fux: os fatos são gravíssimos .
14.06.2017
 Gilmar defende impunidade para PMDB, PT e PSDB.
18.05.2017
 Parente corta investimentos e privatiza Campo do Azulão.
19.05.2017
 Com manifestações e panelaço, povo vai às ruas após divulgação de gravações de Temer .
19.05.2017
 Molon protocola pedido de impeachment.
19.05.2017
 JBS: Mantega recebia a propina e distribuía.
19.05.2017
 Agendas e foto desmentem Lula.
19.05.2017
 Okamoto e Vaccari na agenda de Léo Pinheiro.
19.05.2017
  Paim: ‘Quem votar pela PEC da Previdência não volta em 2018’ .
19.05.2017
 Aécio pediu R$ 2 milhões e pegou. Dinheiro foi rastreado até parar em Perrella, o do helicóptero de cocaína.
[+ Notícias]

Correio Eletrônico: pplrs@pplrs.com.br