Você está em: Home >> Notícias >> Tourinho inventou fases processuais para favorecer Carlinhos Cachoeira, afirma o juiz Alderico Rocha
 
- Procurar Notícias  
 
 
29/01/2013 | Tourinho inventou fases processuais para favorecer Carlinhos Cachoeira, afirma o juiz Alderico Rocha

O juiz Alderico Rocha Santos, responsável pela Operação Monte Carlo, teve duros embates com o desembargador Tourinho Neto, que cuida do caso no Tribunal Regional Federal (TRF-1), sediado em Brasília, que por diversas vezes expediu alvará de soltura para o contraventor Carlos Cachoeira. Em novembro passado, Alderico acusou o desembargador de favorecer o bicheiro "criando fases processuais" não previstas na lei.

Na ocasião, em ofício endereçado a Tourinho, com cópia para o Ministério Público Federal, o juiz escreveu que, em decisão "monocrática" (individual), o desembargador estabeleceu "procedimento diverso da lei" para beneficiar Cachoeira.

Alderico observou que o desembargador estipulou "prazo e forma para as alegações finais" da defesa do bicheiro antes que a 11ª Vara de Goiás tomasse qualquer decisão sobre a matéria, "suprimindo a atuação desta primeira instância" e "criando fases processuais não contidas no Código de Processo Penal".

O documento era a resposta da Justiça Federal de Goiás a uma reclamação protocolada no TRF pela empresa Vitaplan, laboratório farmacêutico que tem como sócios a ex-mulher e o ex-cunhado de Cachoeira: Andréa Aprígio de Souza e Adriano Aprígio de Souza, cujas contas bancárias tinham sido bloqueadas por determinação a 11ª Vara.

Cinco meses antes, num recurso relatado por Tourinho em 13 de junho, a 2ª Seção do TRF-1 havia liberado as contas do laboratório, derrubando despacho do juiz Paulo Augusto Moreira Lima, antecessor de Alderico no processo da Monte Carlo. No caso em pauta, a Vitaplan insurgiu-se contra uma ordem do juiz, que determinara novo bloqueio das contas bancárias e aplicações financeiras da empresa.

Semana passada, a 2ª Seção do TRF-1 decidiu manter os bens da empresa livres de qualquer bloqueio judicial, negando pedido do Ministério Público Federal em recurso relatado novamente por Tourinho Neto. No domingo (27), em entrevista à Folha de S.Paulo, o desembargador – que concedeu duas liminares para libertar Cachoeira – defendeu a permanência do contraventor em liberdade.

"O crime (de Carlinhos Cachoeira) não era de uma organização, de molde a dar uma prisão terrível, num regime que fere a dignidade do homem, lembrando as prisões da Idade Média", alegou. O bicheiro foi condenado em dezembro a 39 anos e 8 meses de prisão pela Justiça Federal em Goiânia, mas vai apelar em liberdade beneficiado por decisão do desembargador.

Fonte: Hora do Povo

 
Últimas Notícias
 
03/07/2017   -- Trabalhistas históricos fortalecem o PPL
29/06/2017   -- João Vicente Goulart se filiará ao PPL
14/06/2017   -- A luta pelo Brasil em um novo partido
14/06/2017   -- TSE livra chapa Dilma-Temer e vota pela ditadura da propina
14/06/2017   -- Gilmar defende impunidade para PMDB, PT e PSDB
 

 
Voltar


 Comente
 
COMENTÁRIOS:
29.06.2017
 João Vicente Goulart se filiará ao PPL.
14.06.2017
 O manual da canalhice - ou como Temer escapou no TSE.
14.06.2017
 Trabalhadores nas ruas dizem “Não” às ‘reformas’ de Temer .
14.06.2017
 Boletim do BC reduz a 0,41% previsão para o PIB este ano.
14.06.2017
 Lucro das operadoras de saúde aumentou 70% em 2016, diz ANS.
14.06.2017
 Fux: os fatos são gravíssimos .
14.06.2017
 Gilmar defende impunidade para PMDB, PT e PSDB.
14.06.2017
 TSE livra chapa Dilma-Temer e vota pela ditadura da propina.
18.05.2017
 Parente corta investimentos e privatiza Campo do Azulão.
19.05.2017
 Com manifestações e panelaço, povo vai às ruas após divulgação de gravações de Temer .
19.05.2017
 Molon protocola pedido de impeachment.
19.05.2017
 JBS: Mantega recebia a propina e distribuía.
19.05.2017
 Agendas e foto desmentem Lula.
19.05.2017
 Okamoto e Vaccari na agenda de Léo Pinheiro.
[+ Notícias]

Correio Eletrônico: pplrs@pplrs.org.br