Você está em: Home >> Notícias >> Luciana Genro: “Dilma, Temer e Cunha não possuem legitimidade e é necessário convocar eleições gerais”
 
- Procurar Notícias  
 
 
 
16/12/2015 | Luciana Genro: “Dilma, Temer e Cunha não possuem legitimidade e é necessário convocar eleições gerais”

A candidata a presidente da República em 2014 pelo Psol, Luciana Genro, defendeu eleições gerais e se colocou contra o impeachment que colocaria no lugar de Dilma Rousseff, o vice-presidente Michel Temer.

Para Luciana, o país não pode ser “entregue ao Vice-Presidente Michel Temer”. “Um vice cujo apoio popular, mostram as pesquisas, não passa de 2%, a metade do apoio que tem o meu nome, por exemplo, na mesma pesquisa. E, ainda mais grave, um vice que propõe um programa de ataques ainda mais cruéis contra os direitos do povo, como expresso na chamada “Agenda Temer”, uma agenda de neoliberalismo explícito”, destacou Luciana Genro, presidente da Fundação Lauro Campos e membro do diretório nacional do Psol.

Ela também destacou que “este processo de impeachment, conduzido por Eduardo Cunha, não tem legitimidade alguma, pois vem sendo conduzido com métodos golpistas e através de manobras fraudulentas”. “Um presidente da Câmara sobre quem pairam acusações gravíssimas não tem autoridade política ou moral para conduzir um processo de destituição de um governo eleito”, observou. Para Luciana, é tarefa urgente cassar Cunha “para que este corrupto deixe a presidência da Câmara e vá para a cadeia”. “A partir daí é preciso ir além. Afinal, a simples continuidade do governo também não interessa ao povo”.

Luciana Genro diz que assim como não se pode aceitar um impeachment conduzido por Eduardo Cunha, “também não podemos nos alinhar na defesa de um governo que foi eleito com um discurso oposto ao programa que implementa”.

Em artigo publicado no site do Psol, Luciana propõe que as eleições municipais de 2016 sejam transformadas em eleições gerais.

“É fato que, mesmo Dilma tendo sido recentemente reeleita, já padece de absoluta falta de apoio popular. Com toda razão o povo está indignado com a corrupção desenfreada que a Operação Lava Jato vem revelando e que envolve altos escalões de vários partidos. Está claro que a roubalheira não é fruto apenas do mau comportamento de alguns, mas um método de governo, e não só deste governo, que une partidos e grandes empresas no saque aos cofres públicos”, continua.

“Não menos justa é a indignação popular com o desemprego que vem crescendo, com a carestia e com a deterioração cada vez maior dos serviços públicos, pelos quais os trabalhadores pagam uma alta carga tributária, muito mais do que os rentistas e milionários, protegidos por isenções e pela leniência com a sonegação”.

Fonte: Jornal Hora do Povo

 

 
Últimas Notícias
 
14/06/2017   -- A luta pelo Brasil em um novo partido
14/06/2017   -- TSE livra chapa Dilma-Temer e vota pela ditadura da propina
14/06/2017   -- Gilmar defende impunidade para PMDB, PT e PSDB
14/06/2017   -- Fux: os fatos são gravíssimos
14/06/2017   -- Lucro das operadoras de saúde aumentou 70% em 2016, diz ANS
 

 
Voltar


 Comente
 
COMENTÁRIOS:
14.06.2017
 O manual da canalhice - ou como Temer escapou no TSE.
14.06.2017
 Trabalhadores nas ruas dizem “Não” às ‘reformas’ de Temer .
14.06.2017
 Boletim do BC reduz a 0,41% previsão para o PIB este ano.
14.06.2017
 Lucro das operadoras de saúde aumentou 70% em 2016, diz ANS.
14.06.2017
 Fux: os fatos são gravíssimos .
14.06.2017
 Gilmar defende impunidade para PMDB, PT e PSDB.
18.05.2017
 Parente corta investimentos e privatiza Campo do Azulão.
19.05.2017
 Com manifestações e panelaço, povo vai às ruas após divulgação de gravações de Temer .
19.05.2017
 Molon protocola pedido de impeachment.
19.05.2017
 JBS: Mantega recebia a propina e distribuía.
19.05.2017
 Agendas e foto desmentem Lula.
19.05.2017
 Okamoto e Vaccari na agenda de Léo Pinheiro.
19.05.2017
  Paim: ‘Quem votar pela PEC da Previdência não volta em 2018’ .
19.05.2017
 Aécio pediu R$ 2 milhões e pegou. Dinheiro foi rastreado até parar em Perrella, o do helicóptero de cocaína.
[+ Notícias]

Correio Eletrônico: pplrs@pplrs.com.br