Você está em: Home >> Notícias >> Contra a PEC 241/55 e o Pacote do Sartori
 
- Procurar Notícias  
 
 
 
23/11/2016 | Contra a PEC 241/55 e o Pacote do Sartori

Em reunião realizada no último domingo (20) o Diretório Estadual do Partido Pátria Livre do Rio Grande do Sul aprovou uma resolução condenando a política recessiva de Temer e Sartori que buscam destruir o país. Abaixo segue na íntegra a resolução:

A PEC 241, convertida no Senado Federal em PEC 55, encaminhada pelo Governo Temer, dando continuidade ao projeto neoliberal de Dilma, propõem o congelamento dos gastos públicos pelos próximos 20 anos, significa condenar o Brasil a não crescer, impossibilitando uma saída para a crise que nos abate, impedindo ainda que o governo faça os investimentos necessários ao atendimento dos serviços públicos, particularmente em educação, saúde e segurança.

A PEC 241/55 arrocha e transfere ainda mais responsabilidades e serviços, sem a devida contrapartida financeira, para Estados e Municípios, que, progressivamente, encontram-se em situações financeiras cada vez mais precárias.

Segundo estudo realizado por economista ligado a FGV, se a PEC já estivesse vigorando desde 1998, o salário mínimo hoje seria de míseros R$ 400,00.

No RS, o Governador Sartori, inspirado em Margaret Thatcher e no governador Pezão do Rio de Janeiro, busca submeter-se e aliar-se ao projeto anti-povo de Temer e Henrique Meireles, ao anunciar um pacote de medidas sob a justificativa de responder à grave crise que passa o seu governo.

Entre as medidas, Sartori propõem privatizar empresas estratégicas como a CEEE, a CRM e a SulGás, cortar serviços públicos, extinguindo nove fundações, demitindo seus funcionários, e, arrochar os servidores aumentando a contribuição previdenciária e não pagando 50% do 13° salário.

Essa mesma receita foi utilizada no Governo Brito, associada a uma capitulação ao governo FHC, fez com que o RS, no ano de 1998, assumisse uma dívida de R$ 25 bilhões, ao longo de 18 anos já pagamos R$ 29 bilhões, sendo que ainda devemos atualmente R$ 54 bilhões para a união.

Ao invés de aplicar esse veneno sobre a sociedade e os trabalhadores em geral, Sartori deveria enfrentar a ganancia de Temer e Meireles, não se acovardando, mas se opondo perante a permanente extorsão praticada pelo governo federal contra os Estados e Municípios.

O Brasil vive um momento de recessão. Para superar a crise, o governo estadual deveria fazer exatamente o inverso, expandir o investimento e fortalecer a economia gaúcha, utilizando instrumentos como, por exemplo, o Banrisul para o financiamento  rural e industrial, gerando novos empregos e fazendo um amplo pacto no rumo do crescimento.

O PPL continuara debatendo o pacote, mas desde já se posiciona contrário às medidas anunciadas.

 

Não as privatizações;

Não ao corte de serviços públicos;

Não ao aumento da contribuição previdenciária.

  

 

Diretório Estadual do Partido Pátria Livre do Rio Grande do Sul – PPL/RS

 

 
Últimas Notícias
 
14/06/2017   -- A luta pelo Brasil em um novo partido
14/06/2017   -- TSE livra chapa Dilma-Temer e vota pela ditadura da propina
14/06/2017   -- Gilmar defende impunidade para PMDB, PT e PSDB
14/06/2017   -- Fux: os fatos são gravíssimos
14/06/2017   -- Lucro das operadoras de saúde aumentou 70% em 2016, diz ANS
 

 
Voltar


 Comente
 
COMENTÁRIOS:
14.06.2017
 O manual da canalhice - ou como Temer escapou no TSE.
14.06.2017
 Trabalhadores nas ruas dizem “Não” às ‘reformas’ de Temer .
14.06.2017
 Boletim do BC reduz a 0,41% previsão para o PIB este ano.
14.06.2017
 Lucro das operadoras de saúde aumentou 70% em 2016, diz ANS.
14.06.2017
 Fux: os fatos são gravíssimos .
14.06.2017
 Gilmar defende impunidade para PMDB, PT e PSDB.
18.05.2017
 Parente corta investimentos e privatiza Campo do Azulão.
19.05.2017
 Com manifestações e panelaço, povo vai às ruas após divulgação de gravações de Temer .
19.05.2017
 Molon protocola pedido de impeachment.
19.05.2017
 JBS: Mantega recebia a propina e distribuía.
19.05.2017
 Agendas e foto desmentem Lula.
19.05.2017
 Okamoto e Vaccari na agenda de Léo Pinheiro.
19.05.2017
  Paim: ‘Quem votar pela PEC da Previdência não volta em 2018’ .
19.05.2017
 Aécio pediu R$ 2 milhões e pegou. Dinheiro foi rastreado até parar em Perrella, o do helicóptero de cocaína.
[+ Notícias]

Correio Eletrônico: pplrs@pplrs.com.br