Você está em: Home >> Notícias >> Cristina Kirchner é reeleita com vitória esmagadora
 
- Procurar Notácias  
 
 
 
24/10/2011 | Cristina Kirchner é reeleita com vitória esmagadora

*Matéria publicada originalmente no site Vermelho.org

 

A presidente argentina, Cristina Kirchner, conquistou uma vitória esmagadora com 53,7% dos votos, após a apuração de 97% das urnas, o maior triunfo desde o retorno da democracia em 1983. A participação popular foi alta, de 77% dos quase 29 milhões de eleitores.


A vitória arrasadora permite a Cristina Kirchner manter a maioria no Senado e recuperar o controle da Câmara dos Deputados, perdido nas legislativas de 2009.


"Convoco a unidade, aprofundando um projeto que ajude a melhorar a vida dos 40 milhões de argentinos", afirmou em um palanque em frente à Casa Rosada, diante de uma multidão. Cristina Kirchner é a primeira mulher reeleita na história do país, para um mandato até 2015, e registrou o maior número de votos desde a redemocratização, superior aos 51% de Raúl Alfonsín em 1983.


Quase quatro horas depois do fechamento dos centros de votação, com apenas 15% das urnas apuradas, a presidente se declarou vitoriosa em um discurso diante de seus partidários em um hotel da capital que serviu de quartel general da sua campanha.

Ela dedicou a vitória ao seu marido, ex-presidente Néstor Kirchner, que morreu há um ano.


Eufóricos, militantes peronistas e seus aliados saíram às ruas minutos depois do anúncio da reeleição da mandatária pela TV e começaram a agitar bandeiras e a bater bumbos na Praça de Maio, diante da Casa Rosada, sede do governo.


"Somos a gloriosa Juventude Peronista!", cantavam os manifestantes na praça.


Néstor Kirchner foi quem tirou o país do buraco após a tragédia econômica e social do final do século 20, e renegociou a dívida após o maior 'default' da história.


A popularidade de Kirchner é apoiada, segundo analistas, na dinâmica da economia, no consumo e nas exportações agrícolas em um país com uma média de 8% de crescimento do Produto Interno Bruto desde 2003.


Outra política dos Kirchner foi promover os julgamentos por crimes na ditadura (1976-1983) com 244 militares e policiais condenados e outros 800 que aguardam sentença.


Durante sua campanha, Kirchner ressaltou a redução dos níveis de pobreza, que hoje chega a 8,3% (2 milhões de pessoas nas 31 principais cidades do país).


Kirchner já tinha obtido 50,7% dos votos nas primárias obrigatórias de 14 de agosto.


Quase 29 milhões de argentinos estavam habilitados a votar nestas eleições, em que também foram renovados a metade da Câmara dos Deputados, um terço do Senado e foram eleitos nove governadores. A coligação liderada por Cristina Kirchner ganhou oito dos nove governos provinciais (estaduais) em disputa.


A presidente reeleita agradeceu aos presidentes da América do Sul que telefonaram para dar os parabéns. O primeiro nome que mencionou foi o da presidente Dilma Rousseff. “Quero agradecer o telefonema solidário, amigo, fraternal de Dilma Rousseff – a companheira Dilma”, disse. Cristina reiterou que pretende aprofundar as políticas de integração regional.


A esmagadora vitória de Cristina Kirchner confirma a tendência democrática e progressista na América Latina, onde os povos avançam em sua luta por soberania nacional e pelo aprofundamento da democracia, derrotando os planos neocolonialistas do imperialismo estadunidense e das oligarquias locais.

 
Últimas Notícias
 
08/02/2018   -- NOTA AO POVO GAÚCHO
02/02/2018   -- Governo do RS deixa metade dos servidores sem salário
02/02/2018   -- Filho de Jango é lançado presidente em São Borja
02/02/2018   -- ALERGS não vota o pacote de Sartori
02/02/2018   -- Servidores Públicos reforçam convocação de greve geral dia 19
 

 
Voltar


 Comente
 
COMENTÁRIOS:
02.02.2018
 Aposentados fazem desfile-protesto contra assalto à Previdência.
02.02.2018
 Gasto com juros foi de R$ 400 bilhões em 2017.
02.02.2018
 Servidores Públicos reforçam convocação de greve geral dia 19.
02.02.2018
 ALERGS não vota o pacote de Sartori.
02.02.2018
 Governo do RS deixa metade dos servidores sem salário.
15.01.2018
 João Vicente Goulart condena “desmoralização” do Ministério do Trabalho.
15.01.2018
 Eleição com Lula é fraude!.
15.01.2018
 Ha-Joon Chang: “O Brasil está experimentando uma das maiores desindustrializações da história da economia”.
27.11.2017
 A vice-presidente do PPL/RS recebe homenagem da ALRS alusiva à Semana da Consciência Negra.
22.11.2017
 PPL inicia campanha à presidência: “Chega de roubalheira e recessão!”.
06.10.2017
 Presidente ladrão diz que imoral é o procurador que o pegou pelo pé.
06.10.2017
 RS: Sartori anuncia venda de 49% do estatal Banrisul.
06.10.2017
 PPL-RS: NÃO à adesão do RS ao plano do governo federal de arrocho dos estados.
03.07.2017
 Trabalhistas históricos fortalecem o PPL.
[+ Notícias]

Correio Eletrônico: pplrs@pplrs.org.br